A maior gorda que você respeita !

gorda

Imagem : “Canetão nosso de cada dia”

Olá !

Conversando com uma amiga, esses dias, falando mais uma vez sobre gordofobia, me lembrei de um episodio que aconteceu comigo esse mês.
Sou pensionista e no mês do aniversário devo ir a qualquer agencia do meu banco para fazer prova de vida.
Com a greve, setembro passou, e fui bem no começo mesmo desse mês, peguei a senha, sentei e esperei normalmente.
Ao chegar na minha vez, o tal funcionário do banco, ficou me olhando seguir até a mesa, chegando lá me disse que entregasse os dados e começou a preencher no computador o tal documento.

Do nada ele me olha novamente, dos pés a cabeça e diz, você recebe por invalidez né ?

Então puxei a cadeira, sentei lentamente e disse :

-Não meu querido, sou gorda mas não estou inválida, e se fosse mudaria algo ?

Ele todo sem graça, não sabia o que fazer, pois já havia feito o pior comentário da vida dele.
Continuou em silêncio, cumpriu com seu trabalho e me entregou uma folha com os dados que precisava.

Dessa vez eu o olhei, bem nos olhos, estendi a mão e quando ele veio me cumprimentar disse a ele :

– Obrigada viu ? Apenas melhore!

E então, sai rebolando e jogando meus cabelos de um lado pro outro.
E esse foi o melhor rebolado que ele vai respeitar !

Gente como é exaustivo ser ! Ser mulher e gorda ainda, extremamente exaustivo sim.
Somos vigiadas e julgadas a todos os momentos, pessoas nos olham e tiram suas próprias conclusões sobre o que somos pelo simples fato de sermos gordos.
Esses hipócritas se dizem tão preocupados com a saúde do gordo, mas deve ser apenas a saúde física, porque pra mental não estão nem ai.
Se realmente houvesse o minimo de preocupação, existiria também o minimo de respeito.
Gratidão mais uma vez por me “ouvirem”
Anúncios

Porque ser gorda incomoda tanto ?

13708232_274652722905677_4775661086116561910_o

 

Oi meninas!

Sou a Nana, 38 anos, filha única, separada, mãe de uma filha de 16 anos e GORDA!
Mas não tem problema em ser gorda, desde que você tenha saúde e se ame. Mas espera, eu não sou gorda, sou obesa mórbida e não tenho lugar no mundo! Não posso ser considerada uma pessoa saudável desse tamanho.

Falou a rainha do drama!

Não! Falou a mulher que não se sente representada e respeitada mas que mesmo com isso vive, dança, joga, se diverte e mantém a alegria no sorriso, no coração e na alma.
Desde pequena aprendi que a vida é dura e que entre perdas e ganhos (não só de peso) a vida continua. Com os acontecimentos nas redes sociais, essa semana comecei a refletir sobre a amargura nas palavras das pessoas.

A boca fala do que o coração está cheio.

Hoje o mundo cobra tanto da gente e apesar de todos terem acesso a informação, saberem que o PERFEITO não existe, insistem em querer nos enfiar goela abaixo que não há beleza em ser gordo. E eu digo que há sim! Não só na moça, que está 4kg acima do seu peso, não só na mulher grande de seios fartos. Há beleza em mim com meus mais de 130 kg e sabe por que? Porque eu enxergo beleza em mim e isso me basta. Eu aprendi a me aceitar da forma que sou, com o peso que tenho, cabelo, cor, me amo de verdade, o meu amor e respeito por mim vem crescendo, desde que aos 5 anos perdi meus pais e o amor deles por mim acabava ali. Meus avós me criaram, e ao partirem, me senti mais uma vez só e meu amor tinha que compensar isso.

Hoje faço tudo que uma pessoa magra faz, menos andar de ônibus, não passo na roleta mas não me sinto coitadinha por conta disso, poderia entrar por trás… (assunto pra um próximo texto) mas me recuso a enfrentar o olhar de repulsa das pessoas que quando me olham, parece que veem um monstro pior que um estuprador, um assassino, um machista que bate na sua mulher e filhos.

E antes fosse só em um ônibus!

E não me sinto menor por isso, porque tem muitas pessoas que passam pela mesma situação e se escondem, eu quero ser grande não só no tamanho, mas quero ser grande e representar essas pessoas que sofrem por uma catraca, sofrem por não caber em uma cadeira, sofrem por não receber atendimento médico, sofrem por serem excluídas e entre outras coisas. O que nós gordos precisamos é de respeito, como qualquer outro ser humano, respeito próprio pra depois cobrar o alheio, por que temos esse direito sim.
Pra não me demorar mais, só digo a vocês obesos, gordinhos ou gordos é que se amem sim, é fácil, desde que você entenda que não precisa da aprovação alheia. Se cuide, se mantenha gordo ou emagreça, mas não deixe que ninguém tire o seu valor por conta do tamanho da sua roupa e do seu corpo.

Beijos no coração e obrigada por me ouvirem/lerem

Esse é um texto que foi publicado em agosto desse ano no blog Real Plus Size Br e me senti lisonjeada por receber mais um espaço pra meu desabafo e idéias sobre ser gorda

 

Pobre ter plano de saúde é ofensa para a elite

Vou aqui mais uma vez, engatar um texto sobre um outro texto, sim porque se ta na moda ter liberdade de expressão (essa liberdade de expressão que atormenta quem já não é favorecido) eu também quero ter a minha em criticar gente com sentimento de superioridade elitista demente que ainda pensa que manda no Brasil.

Deixo aqui as imagens do texto de uma senhora que é jornalista do Jornal O Globo (diga-se de passagem é uma vergonha) sobre o pobre e o plano de saúde, mas uma vez vou em repetir em dizer que essas pessoas quando questionadas alegam humor e direito de expressão…. tis tis tis

12

Sou obrigada a atribuir esses ataques frequentes, a “pobres”, nordestinos e negros ao desespero da elite sobre essa nova classe media que surge usufruindo do direito de poder frequentar um laboratório medico, as faculdades, os restaurantes e shoppings, percebo que tudo isso não é chick para o pobre e sim para a elite que cita essas idas e vindas com tanta empolgação que seria quase como conhecer Deus e poder tirar um selfie com ele.
Bizarro demais não acham? 

Se tem uma coisa que rico de meia tigela (e os de uma tigela inteira) gostam é de ver o pobre frequentando os espaços que antes era domínio deles, particularmente nunca vi um pobre se arrumando para ir fazer exame ou de dar tanta importaria a isso, ninguém gosta de estar doente, mas sou obrigada a considerar que pobre tem mais problema de pressão alta mesmo e não porque hipertensão esteja na moda, mas é que a gente tem que aturar sujeitinho metido a merda falando besteira desse tipo que ela disse quase sempre e respirar fundo para não tacar a mão na cara, nós trabalhamos mais, muito mais que a elite ( se bem me lembro trabalhamos para enriquecer a elite) e ainda temos que cuidar da família, temos que nos preocupar em ajudar os mais pobre que nós, porque ser pobre com plano de saúde ta beleza, pior mesmo é ser pobre sem casa esperando pela sopa e cobertor quentinho que um outro pobre que teve mais oportunidade na vida se dedica a ir levar.
Como não ser hipertenso?

Só vivenciando a vida de um pobre para saber como é, nós compramos roupas bonitas que usamos para ir na clinica, as vezes porque falta tempo de usar elas para ir em festas pobre não é desocupado pra ficar sentado atras de uma cadeira escrevendo tanta merda como essa senhora “muito bem humorada” fez e ainda ser pago por isso, esse senso de dominação, essa sensação de estar perdendo espaço, de não estar sendo mais a rainha da clinica privada, assustou a moça de uma maneira tão profunda que olha o que anos de estudo e dinheiro no bolso fizeram pra ela… transformou-a num grande nada, um saco bem vestido de cabeça oca e coração cheio de amargura.

Vou parar de escrever tenho exames para fazer, deixar muita gente irritada sendo preta, pobre, nordestina, gorda, lésbica, candomblecista e assegurada de um plano de saúde.

Bjo da Gorda Milly Costa